Austrália autoriza polêmico projeto de mineração na Grande Barreira de Coral

Publicação: 15/10/2015

Austrália autoriza polêmico projeto de mineração na Grande Barreira de Coral

Austrália autoriza polêmico projeto de mineração na Grande Barreira de Coral

 

     O governo australiano autorizou novamente nesta quinta-feira um polêmico projeto de mineração do grupo indiano Adani, que, segundo os defensores do meio ambiente, representa uma ameaça para a Grande Barreira de Coral e foi bloqueado pela justiça em agosto.

     Em um comunicado, o ministro do Meio Ambiente, Greg Hunt, afirma que "36 das condições mais estritas da história australiana" foram estabelecidas para a aplicação do projeto Carmichael, que tem valor estimado em 16,5 bilhões de dólares australianos (12,1 bilhões de dólares americanos).

     As associações de defesa do meio ambiente consideram que esse projeto carbonífero é nefasto para a maior barreira de corais do mundo.

     Também é criticado pelo alto impacto no clima devido às altas emissões de gases de efeito estufa do carvão.

     O projeto, que havia recebido uma primeira autorização em julho de 2014, prevê a exploração de uma mina de carvão no estado de Queensland. A construção de 189 km de ferrovias para transportar a matéria-prima, que seria uma das maiores do mundo, também está prevista.

     Além disso, Adani também deve construir um porto de carvão em Abbot Point, próximo à Grande Barreira de Corais, para exportar a produção.

     Em agosto, a Corte Federal australiana havia invalidado a autorização do ministério porque o mesmo não considerava medidas de proteção a répteis vulneráveis, como a egernia rugosa, uma espécie de lagarto, e a serpente denisonia maculata.

     "Condições muito específicas vão permitir proteger espécies ameaçadas e terão uma repercussão positiva a longo prazo no meio ambiente", indicou Greg Hunt.

     "Antes do início da atividade mineradora, irei verificar a respeito das condições", completou o ministro.

     O grupo minerador indiano se comprometeu em proteger as espécies que o projeto pode ameaçar e durante dez anos terá que doar um milhão de dólares australianos a programas de pesquisa sobre as espécies ameaçadas na Bacia da Galileia, onde será implantada a mina.

     No entanto, o grupo Mackay Conservation, promotor da ação judicial, estimou que o projeto ameaça "espécies em perigo, águas subterrâneas de grande valor, o clima mundial e o dinheiro dos contribuintes".

     "O ministro Hunt traiu novamente a população australiana ao levar em consideração as novas provas do impacto devastador da maior mina de carvão da Austrália", disse a responsável pela Mackay Conservation, Ellen Roberts.

     O Greenpeace qualificou o projeto de "catástrofe completa para o clima e para a Grande Barreira de Coral", que se verá afetada pela intensificação do tráfego marinho em Abbot Point.

     Na bolsa de Mumbai, a ação do grupo Adani subiu 10% imediatamente depois do anúncio do governo australiano.

     A empresa afirma que o projeto vai criar 10 mil empregos e levará bilhões de dólares para a renda do estado australiano.

Mais notícias

Comprometimento, Qualidade, Alta Tecnologia e Experiência
© 2016 Geoprisma. Todos os direitos reservados.
Recomende o Site   Dúvidas Frequentes   Ir ao Topo
Site produzido pela Netface